Informação

Os robôs da Boston Dynamics: Fake ou Real?

No dia 29 de dezembro de 2020, a Boston Dynamics (empresa de engenharia robótica), impactou a engenharia com seus robôs que dançam o “twist” precisamente ao som de “do you love me” do “the contours”.  Os robôs impressionam ao realizar os movimentos de dança com mobilidade e agilidade, tão precisos quanto um corpo humano. No vídeo é possível ver os três principais modelos da empresa (dois robôs “Atlas”, um “Spot” e um “Handle”), Mas será que esse vídeo se trata de um acontecimento real, ou é apenas uma montagem? Para entender a verdadeira história, vamos conhecer mais sobre a empresa responsável pelo vídeo.

 A Boston Dynamics foi fundada há quase 30 anos por Marc Raibert, engenheiro eletricista formado pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts). Em 1980, Marc funda um projeto de pesquisa de nome Leg Lab, um laboratório de desenvolvimento de pernas robóticas que tinha como base de seu funcionamento a inteligência artificial, com a ideia de estudar o movimento da perna humana ou animal. Algo que não era explorado até o momento. Esse estudo não surgiu à toa, na verdade, o corpo dos animais é resultado de anos de evolução para que haja movimentação usando o mínimo de energia possível. Baseado nessa ideia é que foram criados os primeiros “passive walkers”, robôs capazes de caminhar usando apenas a força da gravidade.  

Em 1992 surge, de fato, a Boston Dynamics. Com seus primeiros projetos financiados pelo governo dos Estados Unidos. Mas a história dos robôs dançarinos surge com o início dos modelos principais da empresa: em 2009, com o Petman, o primeiro robô humanoide da Boston, que era basicamente uma caixa com pernas, aprendendo a andar sobre uma esteira.  Com as evoluções tecnológicas, Petman foi aprimorado até chegar ao tão famoso robô Atlas, em 2013, que consegue caminhar 5km/h, pesa 80 kg e pode até andar na neve.

Anos depois, em uma das suas aparições por vídeo, o robô surpreende ao realizar movimentos de ginástica, perfeitamente; Em 2015 aparece o Spot Class, um robô quadrúpede, que foi melhorado e hoje é chamado apenas de spot. Ele funciona com uma bateria que dura até 90 minutos, pode ser usado também para monitoramento e reconhecimento e já é comercializado pela empresa e, em 2017, surge o Handle, que nasce com o intuito de carregar caixas e atuar no setor de logística. Atualmente, o Handle possui apenas uma garra com ventosas nas pontas que conseguem carregar até 15 kg. Além disso, ele ficou mais rápido e ganhou um design mais elegante.

É claro que todos esses avanços trouxeram resultados. Hodiernamente, os robôs da Boston Dynamics conseguem desviar de obstáculos, explorar ambientes com terrenos diferentes, subir escadas, fazer parkour, carregar cargas pesadas e ter movimentos muito semelhantes ao do corpo humano, como no vídeo de dança apresentado pela empresa. Portanto, o vídeo dos robôs dançarinos é REAL! E é resultado de anos de estudos. Sensacional, né? 

 

Postagem escrita pela voluntária Isabelly Lúcia.